Ministério da Cultura lança 11 editais de audiovisual no valor de R$ 80 milhões

 

O Ministério da Cultura (MinC), no dia 7 de fevereiro, o primeiro conjunto de editais do programa #AudiovisualGeraFuturo, cujo objetivo é ampliar a participação no mercado de novos talentos e de realizadores negros, mulheres e indígenas e estimular a descentralização do setor audiovisual e a produção de conteúdo infantil e transmídia. 

As 11 linhas anunciadas serão operadas pela Secretaria do Audiovisual (SAV) do MinC e contam com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). "Nossa estimativa é de que, este ano, dentro da política de audiovisual, teremos R$ 1 bilhão para programa #AudiovisualGeraFuturo", informou o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão. Esse montante será disponibilizado ao longo de todo o ano, por meio de linhas operadas pela SAV e pela Agência Nacional do Cinema (Ancine). Editais de linhas operadas pela Ancine serão lançados em março.

Em termos de volume de projetos e de recursos financeiros, trata-se do maior pacote de editais já realizado pela Secretaria de Audiovisual do MinC. Serão disponibilizados R$ 80 milhões para cerca de 250 projetos, por meio de 11 editais voltados ao desenvolvimento, produção e difusão. Em todos há indutores que visam promover a inclusão e reduzir as desigualdades no setor audiovisual.

Todos os editais foram publicados no Diário Oficial da União até dia 26 de fevereiro. As inscrições poderão ser feitas pelo portal do Ministério da Cultura

 

Ações afirmativas 

Cotas de gênero e raça foram adotadas a partir de estudo feito pela Ancine e divulgado em janeiro de 2018. Tendo como base os 142 longas-metragens brasileiros lançados comercialmente em salas de exibição no ano de 2016, o estudo apontou que 75,4% foram dirigidos por homens brancos. As mulheres brancas assinaram a direção de 19,7%. Apenas 2,1% foram dirigidos por homens negros. Nenhum foi dirigido ou roteirizado por mulheres negras. 

Seguindo a política de desconcentração adotada pelo Ministério da Cultura, e buscando estimular a produção audiovisual em todas as regiões do País, cotas regionais foram estabelecidas para todos os editais: ao menos 30% para Norte, Nordeste e Centro-Oeste; e ao menos 20% para Sul, Minas Gerais e Espírito Santo. 

 

Linhas

Do total de recursos, R$ 53,6 milhões são direcionados para 106 projetos de produção, incluindo longas, curtas, jogos eletrônicos e narrativas transmídia (projetos que incluem produtos voltados para diferentes plataformas e planejados de forma integrada). A maioria dos editais incentiva a geração de conteúdos voltados para a infância, um público que tem ganhado cada vez mais importância e para o qual a produção brasileira ainda é restrita. 

Um total de R$ 10,4 milhões será destinado a 57 projetos de desenvolvimento. Nesta linha, serão R$ 6 milhões para projetos que tratam dos 200 anos da Independência do Brasil, a ser celebrada em 2022, e outros R$ 4,4 milhões para o desenvolvimento de projetos voltados à infância. A abordagem é livre.

 A terceira linha traz uma novidade: serão R$ 16 milhões a serem aplicados em 85 projetos de mostras, festivais e eventos do mercado audiovisual – uma linha de financiamento inédita via Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). O objetivo é incentivar a difusão das produções brasileiras nos mercados interno e externo, despertando maior interesse do público e estimulando o crescimento do setor.

 

 

Rua Agostinho Cantu, 163 - Butantã – São Paulo - CEP 05501-010


Telefone:   (11) 3225-0267

 

Gerente executiva - Ana Paula Magno - gerenciaexecutiva@abtu.org.br 

 

Assistente financeiro - Priscila Lauer - abtu@abtu.org.br

Assessoria de imprensa - Areta Braga - areta@comunikacao.com.br 

                                                                      (12) 98156-6744